terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Se concordarem comigo, levantem o rato!

Estão fartos de enfrentar as filas e filinhas para encontrar a prendinha para dar ao marido da prima da Josefina, que só aparece lá em casa pelo Natal?

Já começam a pensar que se o Pai Natal realmente existisse, todos nós teríamos a vida muito mais facilitada e não haveria bichas e bichinhas para tudo e mais um par de botas?

Por esta altura, o “Jingle Bells”, “O Noite Feliz” e o “All I want for Christmas is you” já parecem todas a mesma música e aos primeiros acordes os vossos ouvidos gritam por clemência?

Derreaditos das pernas, começam a equacionar sentar no colo do Pai Natal, apesar de saberem perfeitamente que o homem de barbas brancas é na realidade um mancebo imberbe com a cara cheia de acne e só está a “fazer o papel” de Pai Natal para ganhar uns trocos para a viagem de finalistas?

Sim! Então, façam como eu e vão arejar até à Serra!

Aldeia de Natal em Cabeça, Seia


 

20 comentários:

  1. Respostas
    1. Agora, "bora lá" mexer os bracinhos ao som da música "eu vou, eu vou, para serra, agora, eu vou" ... "prontus", ok, isto já é pedir demais! ;)

      Eliminar
  2. Excelente descrição! :P
    Boas festas!!! :D

    ResponderEliminar
  3. Epá, estou farto de ir à serra, de verão e de inverno e desconhecia essa aldeia.
    São estas coisas que me levam a sair de casa e percorrer centenas de quilómetros.
    Se eu disser que andei 10 anos a passar férias em Espanha e conheço pouquíssimas cidades, custa a acreditar. Mas conheço recantos de Espanha que muitos espanóis não conhecem. Vilas e aldeias perdidas nos Picos de Europa e nos Pirenéus, onde já se chega por estrada, mas estradas que metem medo ao susto.
    Por cá, sempre que posso, perco-me pelas aldeias de xisto, por Idanha e Penha Garcia e muito pelo Alentejo.
    Trás-os Montes fica muito longe e já lá não vou desde a década de 90, mas naquela altura tinha aldeias paradas no tempo, onde as pessoas andavam ao ritmo do sol e dos carros de bois.
    Esse é o país que eu conheço, embora muitas vezes nem me recorde do nome de aldeias por onde andei. Cidades conheço-as melhor no mapa (e agora no Google Earth eheheh).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu confesso que nos últimos anos me tornei "viciada" em descobrir estas pequenas aldeias! Cabeça foi uma agradável surpresa :)

      Eliminar
  4. Eu não tenho rato, se não também levantava ;)
    bom passeio :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! :)
      Aqui, que ninguém nos ouve ... eu também não tenho, mas isto é como o outro diz "o que conta é a intenção"! ;)

      Eliminar
  5. Depois da tarde de hoje só me resta dizer ámen,

    ResponderEliminar
  6. Levantei o rato, viste? É por essas e por outras que dia 24 vou pedalar toda a manhã :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vi, vi, eu vi o ratinho!!! ;)
      Boas pedaladas, GM! :)

      Eliminar
  7. Eu não vou para a serra, mas não me meti vez nenhuma vez em filas, nem tenciono fazê-lo. Dia 24 pela manhã abalo para aldeia para me juntar à família, longe de todas as confusões:)
    FELIZ NATAL E UM BOM ANO NOVO
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. pois esta altura é sempre um pouco complicada mas se não deixarmos para a última a coisa até corre bem!!!
    e essa serra é linda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As minhas compras já estão todas feitas e embrulhadas ... não tenciono voltar à confusão, mas talvez volte à serra! :)

      Eliminar
  9. Tás por território meu! Diverte-te muito e um Feliz Natal

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estive, mas foi muito bom!
      Obrigada e feliz Natal! :)

      Eliminar
  10. Que fofura, que bom aspecto! É a terra da tua familia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, eu sou natural de Guimarães.
      Mas vale a pena visitar a Cabeça!

      Eliminar