sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Isto de dar brinquedos às crianças tem os seus quês …

Quer dizer. Diz que tem os seus quês, porque eu cá continuo a usar o bom senso como conselheiro e (acho que) nunca causei estragos de maior. Mas aparentemente, podemos estar a oferecer a “pior prenda de Natal de sempre”, “aquela que limita o futuro das crianças”.

Dar trens de cozinha, ferros de passar, micro-ondas, varinhas mágicas em miniatura significa estar a educar (à antiga) as meninas para serem empregadas domésticas. A ser verdade … bem, o meu trem de cozinha devia ter algum defeito de fabrico, porque eu ando muito longe de ser uma dona de casa prendada. Sei cozinhar, sei limpar, sei passar a ferro, basicamente, sei fazer de tudo um pouco, mas não sou excepcional em nada. No entanto fartei-me de ter panelinhas, fogões, vassourinhas, lava-loiças e todo o tipo de electrodomésticos infantis.

Por outro lado, o facto de ter sido uma maria-rapaz pode ter contribuído para ter “horizontes mais vastos”. É que a solução para todo este imbróglio passa por trocar as prendas e dar “um carrinho à menina e um ferro de engomar ao menino”. E carrinhos, eu tive às carradas. Não me tornaram uma condutora de Fórmula 1, mas se calhar contribuíram para eu passar à primeira no exame de código e condução. É pá, o que uma pessoa aprende e descobre sobre ela própria a ler estas coisas. 

Ah! Será que alguém já avisou o Pai Natal sobre isto? Bora lá, que o futuro da divisão de tarefas depende disso!

Imagem retirada da Internet

18 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu também e sempre as considerei uma prenda excelente (e não a pior prenda!) … manias! :)

      Eliminar
    2. Tive apenas uma e pedi muito para a ter :D
      Aliás, ainda a tenho :D

      Eliminar
    3. Também tenho as minhas guardadas. :)

      Eliminar
  2. Cada vez mais as crianças pedem coisas de adultos.
    Será que os brinquedos vão deixar de estar de moda?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixar de estar na moda, não acredito. Mas que há cada vez mais brinquedos que são pouco estimulantes para as crianças de hoje e ainda há outros que estimulam aquilo que o ser humano tem de pior (por exemplo, a violência) … lá está na hora de comprar o senso comum devia imperar! :)

      Eliminar
  3. A realidade infantil alterou tanto nos últimos anos, é uma diferença abismal mesmo.


    tarasemanias.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei é se a mudança foi para melhor …

      Eliminar
    2. Acho que no fundo não mudou nada! E no que mudou, mudou para o superficial

      Eliminar
    3. No que mudou, mudou (na minha opinião) para pior.

      Eliminar
  4. Se dar trens de cozinha é estar a preparar as raparigas para domésticas, dar ferros de engomar aos putos não irá contribuir para os tornar "abichanados"? xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz isso à socióloga que escreveu o texto! (adorava ver a cara dela). Mas muito provavelmente, se a criança nunca viu ninguém a passar a ferro (pai ou mãe), o mais provável é o ferro tornar-se numa rampa de saltos para os carritos. :)

      Eliminar
  5. Não tinha carrinhos... Está explicada a minha reprovação no exame de condução!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, confirma-se! Ser maria-rapaz em criança é uma vantagem ;)

      Eliminar
    2. Não se confirma nada. Tive alguns e não conduzo.

      Eliminar
    3. E eu a pensar que a "teoria" se confirmava :D

      Eliminar
  6. As "cenas" não mudam tanto assim...
    Tenho uma criança do sexo masculino que cismou em brincar com uma vassoura cá de casa. Pois imaginei logo comprar-lhe uma daquelas de brincadeira e o deixar divertir-se. Não é que fui "proibida"?

    LOL. Se esse tipo de coisa significasse alguma coisa... temem que o rapaz vire "gay" por ter um ímpeto de varrer a casa. Os bons rapazes, que podem crescer para serem bons homens, sabem que têm de saber fazer de tudo para sobreviverem no mundo e não é só indo à tropa que o aprendem. Mas algumas mulheres, e muitas que se dizem liberais e modernas, acabam por "separar as águas" e proibir certas experiências aos géneros. Ridiculo. Um menino só pode brincar com panelas e tachos se vier a ser um chef?? Ou não pode de todo, não vá gostar de cozinhar, que é coisa... feminina!!!! :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se os brinquedos definissem o futuro das crianças, a maioria das mulheres seriam excelentes cozinheiras e donas de casa (o que não é de todo verdade!). Na minha opinião, não adianta dar carrinhos a rapazes se eles não gostam e bonecas às raparigas se elas não querem. Os pais estão apenas a comprar “tralha”, que vai ficar encostada a um canto. :)

      E a ligação entre “ter uma vassoura” e “ser gay” é extraordinária! :D Saber varrer uma casa não “torna” ninguém gay, apenas impede que de futuro (em adulto) não viva rodeado por pó e lixo :P
      Mas lá está, se ninguém der o exemplo e ainda por cima criticar ... o mais provável é que a criança se sinta mal a brincar com uma vassoura (ou um brinquedo dito de rapariga)!

      Eliminar