quinta-feira, 19 de março de 2015

JINHO

A vida tem destas coisas, às vezes dá, outras vezes tira. Neste caso tirou e tirou cedo de mais. Foram poucos os anos, foram poucos os momentos … soube a pouco.

Queria ter tido mais. Há vitórias que não foram partilhadas, há risos e cumplicidades que não foram trocados. Hoje já saberia rir das piadas marotas que contavas entre amigos, já saberia compreender os livros que lias e já saberia trocar ideias contigo. Riríamos dos poemas de Bocage, (aqueles) os teus preferidos, zombaríamos da sociedade de Eça a cada página que lêssemos e contar-me-ias como o teu amor bateu aos pontos qualquer romance de Camilo Castelo Branco.

Foi pouco o tempo (seria sempre pouco), mas ficam as memórias, as histórias e os conselhos de uma vida. Quando a memória parece começar a esfumar-se … aparece um cheiro, um local, uma palavra que me faz recordar um episódio guardado com carinho. É sempre um recordar com saudade, mas é um recordar …

A saudade aperta, mas aquele que foi meu Pai, mas Pai no verdadeiro sentido da palavra, aquele que teve presente no bons e maus momentos, aquele que mesmo ausente permanece presente e continuará sempre presente ... o meu Pai, o meu Avô, o meu Jinho ficará para sempre guardado em mim com saudade.

Espero que tenhas orgulho na mulher em que me tornei. Eu orgulho-me muito do Homem que foste (e ainda és para mim). Tenho saudades tuas. Amo-te, adoro-te …

17 comentários:

  1. Um beijinho bem GRAAAANDEEEE e muita força.
    Nestes dias custa sempre mais, nos outros também. Mas é importante irmos seguindo.
    E, de certeza, está bastante orgulhoso na mulher que te tornaste!

    ResponderEliminar
  2. Quem é bom parte sempre cedo.

    De certeza que está orgulhoso de ti :)

    ResponderEliminar
  3. O tempo bom, é sempre pouco. Por isso temos de saber valorizar os bons momentos e torná-los eternos. :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. São esses momentos que ficam para sempre.

      Eliminar
  4. A descreveres a vossa relação como descreves aqui, sem dúvida, que ele está a sorrir-te lá de cima =)

    ResponderEliminar
  5. Um dia a juntar aos outros em que a saudade aperta. O meu pai nao merce esse nome.
    Mas há quem mereça.
    Kis :>}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o que dizes. Nem todos nasceram para serem verdadeiramente Pais.

      Eliminar
  6. Grande dedicatória!!! Linda :)
    Beijinho!

    ResponderEliminar
  7. Agora tocaste-me bem no fundo com este texto e numa só palavra...Jinho!

    ResponderEliminar